#88 - GANHADORES DE ALMAS QUE ORAM, POR ALMAS, LEIA ESTE ARTIGO

“Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo”
Tiago 5:16



Todos os grandes ganhadores de almas foram pessoas de muita oração e de oração poderosa, e todos os grandes avivamentos foram precedidos e levados a cabo pela perseverança daqueles que prevaleciam em oração, de joelhos, sozinhos no quarto com Deus. Antes que Jesus começasse Seu ministério, quando grandes multidões O seguiam, Ele passou quarenta dias e noites a sós com Deus em oração e em jejum (Mateus 4:01 a 11).

Paulo orava sem cessar. Dia e noite suas orações, súplicas e intercessões subiam a Deus (Atos 16:25; Filipenses 1:03 a 11; Colossenses 1:03, 09 a 11).

O batismo pentecostal do Espírito e as três mil conversões em um dia foram precedidos por dez dias de oração, louvor, sondagem do coração diante de Deus e estudo das Escrituras. Depois disto continuaram orando, e num outro dia, cinco mil se converteram, e “muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé” (Atos 2:04 a 06; 4:04; 6:04 a 07).

Lutero costumava orar três horas por dia e com isso quebrou o feitiço de séculos e colocou as nações cativas em liberdade.

John Knox costumava passar noites em oração clamando a Deus dizendo: “Dá-me a Escócia senão eu morro!” – e Deus lhe deu a Escócia.

Baxter manchou as paredes do seu gabinete com o hálito da oração, e enviou uma maré de salvação por toda aquela terra.

Inúmeras vezes, o Sr. Wesley em seu diário, (que só perde para o livro de Atos dos Apóstolos em termos de leitura interessante e viva), nos fala de noites inteiras e metades de noites de oração, em que Deus se aproximava e abençoava pessoas além da expectativa; desta forma ele e seus cooperadores foram capacitados para resgatar a Inglaterra do paganismo e para enviar um avivamento de religião pura e agressiva através de toda a terra.

David Brainerd costumava deitar- se no chão gelado à noite, envolto em uma pele de urso, cuspindo sangue, e clamando a Deus para salvar os índios. Deus o ouviu, converteu e santificou aquelas pobres, ignorantes, briguentas e bêbadas criaturas pagãs aos milhares.

Na noite anterior ao maravilhoso sermão de Jonathan Edwards que deu início ao avivamento que sacudiu grandemente a Nova Inglaterra, ele e alguns outros passaram a noite em oração.

Um jovem chamado Livingstone, na Escócia, foi escolhido para pregar em uma das grandes assembléias. Sentindo sua própria fraqueza ele passou a noite em oração e no dia seguinte pregou um sermão onde quinhentas pessoas se converteram. Glória a Deus! Oh, Senhor, levanta pessoas de oração!

O Sr. Finney costumava orar até que comunidades inteiras fossem tocadas pelo Espírito de Deus e os homens não pudessem mais resistir à poderosa influência. Certa vez ele ficou tão abatido pelo seus trabalhos que seus amigos o enviaram ao Mar Mediterrâneo para descansar. Mas ele estava tão preocupado com a salvação dos homens que não conseguiu descansar e, na sua volta, entrou em agonia de alma orando pela evangelização do mundo. Por fim, a sinceridade e a agonia de sua alma se tornaram tão grandes que ele orava o dia todo, e só parava à noite quando recebia um segurança profunda de que Deus efetuaria a obra.

Ao chegar a Nova Iorque ele pregou suas “Palestras de Avivamento” que foram publicadas no seu país e no estrangeiro e resultaram em avivamentos por todo o mundo. Depois seus escritos foram parar nas mãos de Catherine Booth e a influenciaram poderosamente, tanto que O Exército de Salvação foi, em parte, uma resposta de Deus à oração agonizante, suplicante e vitoriosa daquele homem para que Deus glorificasse Seu próprio nome e salvasse o mundo.

Havia um jovem evangelista nos Estados Unidos que foi salvo, por Deus. Em todo lugar que ele ia um “avivamento furacão” tomava conta do lugar e centenas de pessoas se convertiam. Eu queria saber onde estava o segredo do seu poder até que uma senhora em cuja casa ele esteve disse que ele orava o tempo todo. Ela mal conseguia tirá-lo de suas lutas com Deus para fazê-lo comer.

Certo dia, antes de fazer parte do Exército de Salvação, eu estava conversando com o Dr. Cullis, de Boston, um homem com uma fé simples que operava maravilhas. Ele estava me mostrando fotografias e entre elas havia uma de Bramwell Booth, o líder do Exército.

Este homem dirige as mais poderosas reuniões de santidade em toda a Inglaterra” disse o médico.

Então ele me contou a respeito daquelas famosas reuniões de Whitechapel. Quando fui à Inglaterra, estava determinado, se possível, a descobrir o segredo destas reuniões.

“Tem um detalhe”, disse um oficial, “o Sr. Bramwell costumava dirigir reuniões de homens no escritório central naquela época e pedia a cada jovem salvo para passar cinco minutos a sós com Deus todos os dias, onde quer que estivessem, orando por aquelas reuniões de sexta à noite. Um deles, que agora é Brigadeiro, e que naquela época estava empregado em um armazém, tinha que se espremer dentro de um caixote de vime para ter uma chance de orar sozinho por cinco minutos”.

Deus não mudou. Ele está esperando fazer a vontade de homens que oram.

O Sr. Finney conta sobre uma igreja onde houve um avivamento ininterrupto por treze anos. Quando, enfim, o avivamento terminou, todos ficaram temerosos e se perguntavam por que, até que um dia um homem em lágrimas se levantou e contou como, durante treze anos, ele tinha orado todos os sábados à noite até depois da meia- noite para que Deus glorificasse a Si mesmo e salvasse as pessoas. Mas duas semanas antes, ele tinha parado de orar e então o avivamento parou. Se Deus responde a orações como esta, que tremenda responsabilidade está sobre todos nós que oramos!

Ah, se houvesse um santo soldado em cada grupo e um crente em cada igreja que passasse metade de cada noite de sábado em oração! Eis aqui um trabalho para pessoas de folga ou para pessoas que não podem fazer a obra cristã por causa de outros problemas. Você pode fazer este tão necessário trabalho de joelhos.
Mas não pense que este é um trabalho fácil. Ele é árduo e às vezes leva a agonia, mas se tornará uma agonia de alegria em união e comunhão com Jesus. Como Jesus orava!

Outro dia um capitão que ora uma hora ou mais todo dia de manhã e meia hora antes de sua reunião noturna e que tem muito sucesso em alcançar almas estava se lamentando para mim dizendo que ele freqüentemente tem que se obrigar a orar sozinho. Mas nisto ele é tentado e posto à prova como todos os seus irmãos. Todos os homens de muita oração sofrem o mesmo.

O Rev. William Bramwell, que costumava ver centenas de pessoas convertidas e santificadas em todo lugar que ia, orava seis horas por dia, e mesmo assim dizia que sempre ia orar sozinho com dificuldade. Ele tinha que se obrigar a fazer isto. E depois que começava a orar, freqüentemente, passava por períodos de seca espiritual mas perseverava pela fé e os céus se abriam e ele lutava com Deus até que a vitória viesse. Então, quando pregava, as nuvens se dissipavam e chuvas de bênçãos caíam sobre as pessoas.

Certo homem perguntou a outro por que o Sr. Bramwell era capaz de dizer coisas novas e tão maravilhosas que traziam bênçãos a tantas pessoas. “É porque ele vive tão perto do Trono que Deus lhe conta Seus segredos e depois ele os conta para nós” disse o outro.

0 Rev. John Smith, cuja vida inspirou tanto a William Booth como Bramwell, passava sempre muito tempo em oração. Ele sempre achava difícil começar mas depois era tão abençoado que achava difícil parar. Em todo lugar que ia poderosas ondas de avivamento também o acompanhavam.

Esta relutância em orar sozinho pode se originar de uma ou mais causas:
1. De espíritos ímpios. Eu imagino que o diabo não se importa muito em ver a tantas pessoas “frias” orando de joelhos em público, pois sabe que elas o fazem simplesmente porque é apropriado e está na moda. Mas ele odeia ver alguém de joelhos orando em secreto, pois este tipo de pessoa fala sério, e se perseverar na fé vai mover a Deus e aos Céus no interesse que ele representa. Por isso o diabo se opõe a este tipo de pessoa.

2. Da preguiça do corpo e da mente causada por doença, perda de sono, dormir demais, ou pela gula que, sem dúvida, exige demais dos órgãos digestivos, entope a corrente sangüínea e abafa todos os mais altos e nobres poderes da alma.

3. De uma falha em responder rapidamente quando nos sentimos guiados pelo Espírito para ir orar em secreto. Se, quando sentirmos que devemos orar, hesitarmos mais do que o necessário e continuarmos a ler ou conversar quando deveríamos estar simplesmente orando, o espírito de oração será reprimido.

Nós devemos cultivar a alegria de pensar em ficarmos a sós com Jesus em comunhão e oração secretas, assim como os casais de namorados esperam prazer e alegria em estar um com o outro.

Nós devemos responder prontamente ao chamado interior para oração. “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós” e “esmurro o meu próprio corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado”.

Jesus disse que os homens devem orar sempre e nunca esmorecer (Lucas 18:01) e Paulo disse: “Orai sem cessar” (I Tessalonicenses 5:17).

Um homem intrépido e de fé, que ora pode, às vezes, conseguir a vitória para uma cidade inteira ou nação. Elias venceu no Monte Carmelo. Moisés venceu pela Israel rebelde; Daniel venceu na Babilônia. Mas se um grupo de pessoas puder ser levado a orar desta maneira, a vitória será ainda mais abrangente. Que ninguém imagine com um coração perverso de incredulidade, que Deus está com o coração fechado ou sem vontade de responder à oração. Ele está mais desejoso de responder àqueles cujos corações estão em harmonia com Ele do que os pais estão em alimentar seus filhos.

Quando Abraão orou por Sodoma, Deus respondeu às suas perguntas até que Abraão parou de perguntar (Gênesis 18:22 e 33). Ele fica mais zangado conosco porque pedimos tão timidamente e por tão pequenas bênçãos, assim como o profeta Eliseu ficou zangado com o rei que atirou as flechas somente tres vezes quando deveria ter atirado cinco ou seis vezes! (II Reis 13:18 e 19).

Vamos nos achegar ousadamente ao Trono da graça e pedir abundantemente para que a nossa alegria seja completa! (Hebreus 4:16).


Fogo para Missões

4 comentários:

  1. gostaria de ser um ganhador de almas para Cristo.
    RSDM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão anônimo, você já é um ganhador de almas com seu testemunho, tenha certeza de que Deus o tem em seu plano de anunciar o Evangelho por toda a terra!

      Medite em Colossenses, pense sobre Colossenses 4:05, o texto de um ganhador de almas!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Qual estudo especificamente o irmão gostaria de receber?

      Excluir

Você está no BlogFpM, blog oficial do ministério Fogo para Missões.

Você pode também nos acompanhar no facebook.com/fogoparamissoes, onde você poderá curtir, seguir, reagir às publicações, compartilhar, comentar, pode até deixar aquele seu "amém", mas acima de tudo, queremos que você se sinta incentivado, encorajado e provocado a envolver-se pessoalmente na proclamação do Evangelho, das Boas Novas de Jesus Cristo.

Seu comentário é importante para que possamos avaliar o alcance de nossa proposta. Se você possui site, blog ou twitter, deixe seu link para que o visitemos também! Se desejar, nos acompanhe também pelo twitter.com/fogoparamissoes.

TODOS OS COMENTÁRIOS SERÃO PUBLICADOS APÓS MODERAÇÃO.