"Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho"
Salmos 119:105



Recentemente publicamos um artigo sobre a situação de alguns brasileiros, entre eles irmãos missionários, em Guiné-Bissau (clique aqui para ler). Neste artigo citamos o nome do Pr. Pedro e sua esposa Rachel Peres de Souza, que durante quase vinte anos estiveram atuantes na pregação do evangelho entre os irmãos guineenses. Hoje, dia 30 de abril em seu blog Missões na Guiné-Bissau, a irmã Rachel publicou um vídeo emocionante, falando da importancia da continuidado do projeto Bíblias para Guiné-Bissau.

Abaixo está o texto publicado no artigo publicado pela irmã Rachel Peres de Souza:

A Campanha "Bíblias para Guiné-Bissau" continua. Coloquei esse novo clip onde tem a palavra do Pr. Esequias Soares da Silva, pastor presidente da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Jundiaí e líder dessa Campanha tão preciosa, tem tambem o depoimento do Pr. Pedro de Souza, do Pr. Tcharton Sana da Costa e o meu, depoimentos estes que falam sobre a necessidade do envio urgente das Bíblias para a Guiné-Bissau.


O Ministério Fogo para Missões não possui nenhuma participação neste projeto ou ministério, publicamos este artigo porque acreditamos na importância da distribuição de Bíblias para os irmãos guineenses e para o alcance daqueles que ainda não conhecem as Escrituras em Guiné-Bissau.

Ore ao Senhor e, havendo paz, invista neste projeto, para maiores informações, entre em contato com os irmãos Pr. Pedro e Rachel Peres de Souza através de seu blog Missões em Guiné-Bissau.

Fogo para Missões

 "Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;"
II Coríntios 9:10

O texto abaixo encontra-se no site www.missoesjasertao.com, onde o Missionário Renato Magnus e família apresentam um verdadeiro relatório de suas atividades missionárias, e como se encontram as comunidades que são visitadas por ele no Rio Grande do Norte. Queremos convidar a todos os nossos leitores, amigos e irmãos a conhecer este trabalho realizado aqui mesmo em terras brasileiras, conhecer, interceder, investir e se possível, para aqueles que são próximos à região, ir até eles em auxílio.

Saúdo a todos com a Graça e Paz do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo de Nazaré, Criador de tudo e de todos.

Nestes dias 28 e 29 de abril de 2012, estávamos em uma de nossas viagens missionária, em busca de novas comunidades e novos desafios para o crescimento a obra do Senhor neste vasto campo missionário chamado Sertão.


Saímos do município de Currais Novos/RN ás 5h da manhã com destino a Santana do Matos/RN, no início da viagem nos deparamos com algumas serras verdes com belas paisagens, mas ao se aproximar da cidade e das comunidades, logo não demorou ver a tristeza de animais mortos nas estradas, em alguns dos lugares parecia até um cemitério de vacas e bodes de tantos ossos e peles de animais mortos estirados, alguns parecia ter morrido a pouco tempo pela decomposição do animal.

O sol queimava muito e o mato está muito seco nas comunidades, os poços artesanais vazios e açudes secos, muitas famílias estão tomando banho em barreiros cheios de lama e animais mortos.




Visitamos 6 povoados do município de Santana do Matos/RN.
Iniciamos no sítio glória onde formos bem recebidos pelos moradores, um deles até nos ofereceu almoço, mas por ser a nossa primeira vez na comunidade ficamos receosos de ficarem com maus pensamentos nosso, (não encontramos um único crente no local). Continuamos a viagem e sempre vendo muita seca região, fomos ao povoado de Varzinha onde foi nosso foco principal, vemos que a comunidade é um povoado grande e bom de pregar a palavra do Senhor, (durante todo o nosso percurso na comunidade também não encontramos um evangélico). Daí, continuamos a nossa viagem e fomos aos outros povoados, Povoado Camarões, Povoado Bom Jesus, Povoado Coroas Limpas, Povoado Pinturas. Apenas nos povoado de Bom Jesus nós podemos nos deparar com uns 5 evangélicos, mas nos demais povoados não existe nenhum evangélico.

Estamos com projetos de implantar duas igrejas nos povoados de Varzinha e de Coroas Limpas, onde vimos que é o ponto central para as outras comunidades. Vamos pedir ajuda as igrejas locais para ver o que pode ser feito nestas comunidades. Pessoas estão com fome, 1k de feijão macassar (feijão branco) que custa R$ 2,60 em Currais Novos, lá nas comunidades custa cerca de R$ 8,00, um carro pipa de médio porte com água potável está custando cerca de R$ 150,00, tudo está difícil para essas pessoas, o sustento armazenado das plantações do ano passado só durará até os dois próximos meses, sem contar que a verdadeira esperança de Jesus Cristo, está longe de seus ouvidos por não ter quem pregue.

Precisamos nos unir nesta luta igreja do Senhor, nos ajude a anunciar as boas novas, faça sua parte e se importe com essas pessoas, o sertão precisa de você!.

Acesse o site www.missoesjasertao.com e faça seu comentário, veja mais sobre esses trabalhos do Senhor, saiba como contribuir com essa obra.

FAÇA A DIFERENÇA, SE IMPORTE!

Deus os abençoe ricamente em nome de Jesus

Att, Miss. Renato Magnus

Contato
Celular: (84) 8712.3193 - OI | (84) 9986.3919 - TIM
Email: renatomagnus@live.com
Facebook: /renato.magnus
Twitter: /_RenatoMagnus

Conta Para Ofertas Missionária
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Agência: 0805
Operação: 003
Conta Corrente: 368-0
Renato Magnus de Souza Costa

"Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;"
II Coríntios 9:10

Fogo para Missões

"E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade."
Malaquias 5:02

Há uma banda americana que eu gosto muito, Casting Crowns, uma daquelas bandas que são admiráveis pelo testemunho pessoal e ministerial, e musicalmente pela excelência dos músicos e principalmente pela profundidade de suas canções. E uma destas canções admiráveis é "While You Were Sleeping", que nesta publicação apresento em sua tradução para o português como "Enquanto Você Está Dormindo".

Na canção, há referência aos Estados Unidos da América, país de origem da banda, onde eu faço referência ao Brasil, nossa nação, que igualmente permanecer estar dormindo para o evangelho da salvação.

Enquanto Você Está Dormindo
While You Were Sleeping - Casting Crowns

Oh pequena cidade de Belém
Parece outra noite silenciosa
Sobre seu profundo sono sem sonhos
Uma estrela gigante clareia o céu
E enquanto você estava descansando no escuro
Lá brilhava uma noite eterna
Para o Rei que deixara Seu trono
E está dormindo em uma manjedoura esta noite

Oh Belém, o que você perdeu enquanto você estava dormindo
Deus se tornou homem
E pisou dentro de seu mundo hoje
Oh Belém, você vai ficar na história
Como a cidade sem quarto para seu Rei
Enquanto você estava dormindo
Enquanto você estava dormindo

Oh pequena cidade de Jerusalém
Parece outra noite silenciosa
O Pai entregou Seu único Filho
O Caminho, a Verdade, a Vida vieram
Mas lá não há quarto para Ele no mundo Ele veio para salvar

Jerusalém, o que você tem perdido enquanto você estava dormindo
O Salvador do mundo está morto sobre sua cruz hoje
Jerusalém, você vai ficar na história
Como a cidade sem quarto para seu Rei
Enquanto você estava dormindo
Enquanto você estava dormindo

Estados Unidos da América (Brasil)
Parece outra noite silenciosa
Como se nós cantássemos para dormir através de filosofias
Que salvam as árvores e matam as crianças
E enquanto nós estamos descansando no escuro
Há um grito ouvido desde o céu oriental
Para o Noivo que tem retornado
E carregado Sua noiva pela noite

América (Brasil), o que nós iremos perder enquanto nós estamos dormindo
Jesus voltará
E nos deixará dormindo onde descansamos
América, nós iremos ficar na história
Como a nação sem quarto para seu Rei
Nós estaremos dormindo?
Nós estaremos dormindo?

Estados Unidos da América (Brasil)
Parece outra noite silenciosa

O motivo para publicarmos esta canção, é o entendimento que temos de nossa responsabilidade diante desta realidade mortalmente eterna, não podemos dormir enquanto o Noivo vem, é preciso que anunciemos o evangelho através de nossas vidas, de nosso testemunho diário, nos manifestando como filhos amados.

"Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;"
Efésios 5:01

Youtube - Você pode conferir a canção, com legenda em português clicando aqui.

Fogo para Missões

"E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim."
Mateus 24:14


Quando assisti a este vídeo, não pude deixar de pensar na facilidade que hoje temos em adquirir um exemplar das Escrituras e da facilidade que temos em não dar valor a esta facilidade. Não pude deixar de pensar também no trabalho nada fácil, mas difícil, daqueles que hoje se esforçam na tradução do evangelho do Reino para línguas e dialetos de povos que ainda não a possui.

Se você assistiu a este vídeo e estas verdades igualmente bateram em seu coração, ore conosco por avivamento missionário, ore conosco para que os crentes brasileiros valorizem, como convém, as Escrituras, ore conosco pelo avanço dos trabalhos de tradução bíblica, ore conosco pelas vidas destes irmãos, para que não desanimem, para que prossigam, para que sejam animados e renovados diariamente neste sublime trabalho.

Se este vídeo tocou seu coração para estas verdades, seja você mesmo um canal de valorização das Escrituras, medite e viva por ela, crie um grupo de estudos, adquira bons livros, defina um tempo devocional, invista em seu crescimento pessoal e, como Mary Jones, seja você exemplo para o Reino.

"Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos."
I Timóteo 4:15

Fogo para Missões

"E ele permanecerá, e apascentará ao povo na força do SENHOR, na excelência do nome do SENHOR seu Deus; e eles permanecerão, porque agora será engrandecido até aos fins da terra."
Miquéias 5:04



Hoje, pelo twitter (@misfabio1), um irmão comentou a alegria de ter recebido em casa seu exemplar da revista A Colheita, então decidi compartilhar aqui também um pouco sobre esta revista excelente, muito bem feita e de conteúdo.

Primeiro quero falar um pouco sobre a JMM, responsável pela publicação da revista. A JMM, ou Junta de Missões Mundiais foi criada no Brasil, em 1907 durante uma Assembléia da Convenção Batista Brasileira com o objetivo de organizar e cuidar da expansão missionária além dos limites geográficos brasileiros, tendo em 1911 o Pr. João Jorge de Oliveira partido para Portugal, tornando-se o primeiro missionário enviado. Hoje com mais de 700 missionários em 64 países, a JMM auxilia na evangelização, plantação de igrejas e realização de trabalhos sociais.

Para saber mais sobre a JMM, acesse sua página na internet, no jmm.org.br, onde você encontrará também a versão digital e para download da revista A Colheita, periódico bimestral com informações dos campos missionários, entrevista com pastores, além da divulgação de novos projetos, tudo de uma forma objetiva e muito bem elaborada. Certamente você irá gostar.




Então é isso amados, há diversos campos missionários, diversos trabalho e projetos abençoadores e ainda,  diversas agências missionárias sérias espalhadas pelo Brasil e pelo mundo, muitos deles muito próximos de nós esperando por nossas orações, nosso envolvimento e também nosso investimento financeiro.

É lamentável que a igreja brasileira ainda invista tão pouco em missões, é lamentável que tenhamos a mão tão aberta para "shows" e outros eventos voltados para o "público gospel" e não sejamos tão generosos quanto o assunto é missões. Na minha opinião é uma questão de cultura, os evangélicos brasileiros são formados numa cultura onde há pouca Palavra e muita distração.

Há muitos eventos, evangelísticos, que realmente merecem nosso tempo e investimento, como por exemplo foi a gravação do DVD Pai de Órfãos do ministério Casa da Rhema, evento que gerou investimento para trabalhos em Moçambique, projetos efetivamente evangelísticos, e acreditem, estes são os que nos dão maior satisfação por participar, colocar a mão na massa, o pé na estrada, sem holofotes, sem microfones, são revigorantes.

Este é nosso maior objetivo, anunciar o Reino, provocar o envolvimento, a ação efetiva de nossos leitores, irmão e amigos a mudar esta realidade, nós podemos e, no poder de Cristo, vamos mudar isso, a começar por nós.
 
Fogo para Missões

"...eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales..."
Cantares 2:01

Este texto faz parte de uma série de artigos publicados em outros blogs com grande relevância e repercussão, relevantes para a questão do testemunho e missões, ricos em ensinamentos e proveitosos para a sua edificação, boa leitura.

Infelizmente vivemos numa geração analfabeta de Bíblia. Os crentes querem sentir, não pensar. Querem sentir arrepios e não estudarem a Bíblia com dedicação. Tudo o que é falado em nome de Deus, estas pessoas aceitam.

Muito se tem falado no meio evangélico a respeito da famosa “Rosa de Saron”. Em quase toda igreja tem um conjunto ou um grupo denominado Rosa de Saron. Na maioria das vezes as pessoas tem em mente que a Rosa de Saron seja uma referência a pessoa de Jesus. Pregadores no êxtase da mensagem dizem: Jesus é a Rosa-a-a-a- de Saron, aleluia!

Portanto, estamos diante de uma pergunta intrigante: “Afinal quem é a Rosa de Saron”?

Antes de respondermos a questão acima, se faz necessário exortar a todos os leitores da Bíblia, que devemos ler a Bíblia com a máxima atenção, analisando os pontos, as vírgulas etc. Não podemos ler a Bíblia como se tivéssemos lendo um jornal, uma revista ou um periódico. Na verdade a falta de leitura com atenção, é a causa da difusão de tantas “doutrinas” perniciosas no seio da igreja. Se os membros das igrejas se dedicassem mais à leitura do texto sagrado, com certeza, não seriam tão facilmente enganados e nem participariam de “estórias” chamadas bíblicas.

No capítulo 2 de Cantares de Salomão, basta um simples exame do livro, usando a versão ARA (Almeida Revista e Atualizada) para dissipar de uma vez por todas esta suposta contradição. Nesta versão encontramos um título que indica quem está falando; ora a esposa, ora o esposo, ora as filhas de Jerusalém. No texto de Cantares 2:01, encontramos em cima da fala o nome: “esposa” e ela diz:

“Eu sou a rosa de Saron” no hebraico: Ani Havatselet há Sharon

Se ainda pairasse dúvida quanto a afirmação ser do amado ou da amada, o texto original decide a questão quando se observa que as terminações das palavras são as do feminino. A letra Tav no final da palavra indica feminino.

Saron – o local onde brota o Havatselet

Não podemos falar do havatselet sem falar de Saron, a planície onde ela nasce, floresce e fenece. A palavra “Saron” no hebraico é “Sharon” que significa: plano, planície.

Sharon é assim denominada a área fértil e úmida da região. A planície costeira de Israel é chamada de Sharon. Os sábios judeus comparam os justos às rosas do vale, que são as mais belas de sua espécie. Elas mantêm o frescor dos vales úmidos. Enquanto isso, os “reshaim” (perversos) são semelhantes às rosas das montanhas, que pouco duram porque secam sob a inclemência da natureza, esvoaçando depois como o vento faz o debulho.

A rosa requer bastante claridade, o que ela obtém nas planícies do Sharon. Os largos espaços são ideais para que sua fragrância se espalhe.

O gado de Davi pastava em Sharon, sob o comando de Sitrai, o saronita (I Crônicas 27:29).

As características do Havatselet e sua aplicação:

A sua cor era vermelho-vinho – A igreja entende o sacrifício de Jesus e reconhece que foi pelo sangue do Cordeiro que ela foi salva;

Suas flores eram perfumadas - O viajante podia sentir a fragrância de muito longe, ou seja, cada cristão deve ser o bom perfume de Cristo, o bom cheiro do Evangelho;

Tinha 6 pétalas – A igreja por mais abençoada que seja, sabe que é composta por homens. O número 6 na Bíblia é o numero do homem.

Conclusão: A "Rosa de Saron" é a figura da Igreja e não do Senhor Jesus!

Fonte: Pr. Marcelo Oliveira, no blog A Supremacia das Escrituras

Bibliografia: Wasserman, Adolpho. Cântico dos Cânticos. Ed. Maayanot
Kaiser, Hilmar E.S. Eller. O Havatselet de Saron. Apostila do CCBB.


Fogo para Missões

"Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus. O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus."
Filipenses 4:18 e 19

Lembro de um garoto, dentro de uma tenda, era noite, estava frio lá fora, havia uma chuva leve apenas para molhar a grama do lado de fora, este garoto estava sentado em uma cadeira logo atrás de mim, sozinho, parecia curioso, talvez, assim como eu, esperava para ver o que o SENHOR nos reservaria naquela noite.

A tenda logo começou a ficar cheia, e por alguma razão convidei o jovem para sentar-se ao meu lado, mais à frente e assim conheci Douglas Klein (@DouglasKlein), um jovem simples, com um coração arrebatado por missões, e esta noite, era o primeiro dia do Missio Dei (leia mais sobre o evento aqui), dia 21 de setembro de 2011.

Alguns meses se passaram desde então, e esta semana recebi uma mensagem do Douglas com uma notícia excelente, alucinante, a divulgação de um projeto de Viagem Missionária para Goiás e Santa Catarina como parte de seus estudos na ETED. Fiquei muito feliz ao receber esta notícia, afinal aquele garoto está andando, correndo, voando em seu chamado, dando seus primeiros passos para uma caminhada cheia de aventuras e desafios no SENHOR.

Junto com o Douglas nesta viagem, estarão também mais 08 (oito) jovens, eles estarão viajando pela ETED (Escola de Treinamento e Discipulado) como parte de um período de estudos de formação teórico-prática em missões pela JOCUM. Todos nós sabemos que toda viagem tem seus custos e viagens missionárias não são diferentes, nos diga o Apóstolo Paulo, que contou com o providencial apoio da Igreja em Filipos.

Esta viagem não tem qualquer vínculo com o ministério Fogo para Missões, porém, tem a ver com a Igreja, por isso, optei por chamar a sua atenção para esta oportunidade de por em prática este importante ministério, o ministério da contribuição. Fico feliz por conhecer um dos jovens que estarão nesta viagem, pois posso dizer que este garoto tem um profundo desejo de estar lá, fazer parte deste chamado.

Algo que nossos leitores regulares sabem muito bem, é de nosso insistente esforço em despertá-los para uma adoração prática, um envolvimento mais ativo em missões, seja orando em projetos com o #TempodeOração, ou em campanhas como os atuais 30 Dias de Oração pela Coréria do Norte, seja escrevendo uma carta para um missionário, uma carta à moda antiga, papel e caneta, seja agindo em sua igreja local, e também investindo financeiramente no chamado de outros irmãos, sérios, comprometidos com o Reino.

Portanto amados, conheça este projeto, clique na imagem ao lado, todas as informações que você precisa estão aí, leia com atenção a proposta desta viagem e ore para que o SENHOR confirme em seu coração se você deve, ou não, contribuir neste projeto. Pode ser que você já conheça outro projeto, outro Douglas Klein e você já tenha pensado em investir nele, mas ainda não se mexeu para fazer algo, talvez esta seja uma boa oportunidade para você, para sair da teoria, das canções, dos jargões e se envolver mais com esta missão que é de Deus?!!

Fogo para Missões

"Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra."
Atos 1:08
Ronaldo Lidório

Escrevo este artigo como um reconhecimento de que, sem a ação do Espírito Santo, a compreensão teológica bem como as estratégias missionárias serão insuficientes na dinâmica da propagação do evangelho e da multiplicação de igrejas. Dependemos do Espírito para converter o coração do povo, uni-lo, levá-lo a adoração a Cristo e inflamá-lo a pregar o evangelho. E o vento sopra onde quer.

Se olharmos o crescimento da Igreja em um panorama mundial, perceberemos que o crescimento evangélico foi 1.5 % maior que o Islã na ultima década(1). O evangelho já alcançou 22.000 povos nestes últimos 2 milênios. Temos já a Bíblia traduzida hoje em 2.220 idiomas. As grandes nações que resistiam ao evangelho estão sendo fortemente atingidas pela Palavra, como é o caso da Índia e China, que em breve deverão hospedar a maior Igreja nacional (e informal) sobre a terra. Um movimento missionário apoiado pela Dawn Ministry plantou mais de 10.000 igrejas-lares no Norte da Índia na última década, em uma das áreas tradicionalmente mais fechadas para a evangelização. No Brasil, em lugares menos evangelizados como o sertão nordestino, o norte ribeirinho e indígena, e o sul católico e espírita, vemos grandes mudanças na última década, com o nascimento de novas igrejas, a multiplicação de movimentos evangelísticos e o crescimento da liderança local. Patrick Johnstone nos informa que jamais tivemos um crescimento tão expressivo da Igreja como em nossos dias(2).

Duas perguntas poderiam surgir perante este quadro: Qual a relação entre a expansão do evangelho e a pessoa do Espírito Santo? E quais os critérios para uma Igreja, cheia do Espírito, envolver-se com a expansão do evangelho do Reino?

Em uma macrovisão, percebemos que essa relação poderia ser observada em três áreas distintas, porém, inter-relacionadas: 1. através da essência da pessoa do Espírito e de sua função na Igreja de Cristo; 2. pela essência da pessoa do Espírito e de sua função na conversão dos perdidos; 3. pela clara ligação entre os avivamentos históricos e o avanço missionário.

A essência da pessoa do Espírito e de sua função na Igreja de Cristo
Em Lucas 24, Jesus promete enviar-nos um consolador, que é o Espírito Santo. Este viria sobre a Igreja em Atos 2 de forma mais permanente. Ali a Igreja seria revestida de poder. O termo grego utilizado para “consolador” é “parakletos” e literalmente significa “estar ao lado(3). É um termo composto por duas partículas: a preposição “para”, que indica “ao lado de”, e “kletos”, do verbo “kaleo” que significa “chamar”. Portanto, vemos aqui a pessoa do Espírito, o cumprimento da promessa, o chamado para habitar a Igreja, permanecendo ao lado dela para o propósito de Deus.

Segundo John Knox a essência da função do Espírito Santo é estar ao lado da Igreja de Cristo, fazê-la possuir a face de Cristo e espalhar o nome de Cristo(4). Nessa percepção, O Espírito Santo trabalha para fazer a Igreja mais parecida com seu Senhor e fazer o nome do Senhor da Igreja conhecido na terra. 

A essência da pessoa do Espírito e de sua função na conversão dos perdidos
Cremos que é o Espírito Santo quem convence o homem do seu pecado.

O homem natural sabe que é pecador, porém apenas com a intervenção do Espírito ele passa a se sentir perdido. Portanto em toda a apresentação do evangelho, se o Espírito Santo não convencer o homem do pecado e do juízo, nossa exposição da verdade de Cristo não passará de uma apologia humana (I Tessalonicenses 1:05).

Francis Shaeffer em seu L’abri ensinava a diferença entre a consciência de pecado e a consciência de resgate. Todo ser humano possui uma consciência moral de erro. Ele expõe que a consciência de imperfeição é inerente ao homem, e aceita pelo mesmo. Isto, por outro lado, não o leva a se sentir perdido e necessitado de ser resgatado. Sem a intervenção e o trabalho do Espírito, o homem natural não busca Deus e não sente a necessidade de salvação ou perdão. Todos já passamos por uma experiência evangelística em que apresentamos Cristo a alguém com o coração endurecido. Às vezes até este alguém observava o que dizíamos sobre o Cristianismo de forma crítica e com zombarias. Mas mesmo assim lhe apresentamos o mesmo evangelho uma, duas, cinco vezes. Na sexta, nada novo é falado. O mesmo evangelho é apresentado, porém nesse momento a Palavra entra em sua mente, desce ao coração e gera quebrantamento, consciência de que está perdido e precisa de Deus. Há ali uma entrega pessoal ao Senhor Jesus. A pessoa do Espírito Santo, sua natureza e missão, é quem faz a diferença entre um ouvir acomodado do evangelho e um possuir sede de Deus.

A clara ligação entre os avivamentos históricos e os movimentos missionários Se observarmos os ciclos de avivamentos perceberemos que a proclamação da Palavra se torna uma consequência natural dessa ação do Espírito(5) .

Como resultado de um avivamento, a partir de 1730, John Wesley durante 50 anos pregou cerca de 3 sermões por dia, a maior parte ao ar livre, tendo percorrido 175.000km a cavalo pregando 40.000 sermões ao longo de sua vida. Como resultado de um avivamento, em 1727, a Igreja moraviana passa a enviar missionários para todo o mundo conhecido da época, chegando a enviar, ao longo de 100 anos, mais de 3.600 missionários.

Como resultado de um avivamento, em 1784, após ler a biografia do missionário David Brainerd, o estudante William Carey foi chamado por Deus para evangelizar os indianos. Após uma vida de trabalho conseguiu traduzir a Palavra de Deus para mais de 20 línguas locais Como resultado de um avivamento, em 1806, Adoniran Judson teve uma forte experiência com Deus e se propôs a servir a Cristo, indo depois para a Birmânia, onde foi encarcerado e perseguido durante décadas, mas deixou aquele país com 300 igrejas plantadas e mais de 70 pastores.

Como resultado de um avivamento, em 1882, Moody pregou na Universidade de Cambridge e 7 homens se dispuseram ao Senhor para a obra missionária e impactaram o mundo da época. Foram chamados “os 7 de Cambridge”, que incluía Charles Studd(6) . Este foi para a África, percorreu 17 países e pregou a mais de meio milhão de pessoas. Fundou A Missão de Evangelização Mundial, que conta hoje com mais de 4.000 missionários no mundo.

Como resultado de um avivamento, em 1855 Deus falou ao coração de um jovem franzino e não muito saudável para se dispor ao trabalho transcultural em um país idólatra e selvagem. Vários irmãos de sua igreja tentavam dissuadi-lo, mas ele preferiu ouvir Deus e foi. Assim, Ashbel Green Simonton que veio e atuou no Brasil na segunda metade do século XIX, sendo o fundador da Igreja Presbiteriana do Brasil.

Como resultado de um avivamento, em 1950, no Wheaton College 500, jovens foram chamados para a obra missionária ao redor do mundo a partir da pregação da Palavra. E obedeceram. Dentre eles estavam Jim Elliot que foi morto tentando alcançar a tribo Auca, na Amazônia, em 1956. A partir de seu martírio, houve um grande avanço missionário em todo o trabalho indígena e não indígena. Um destes jovens é o Dr Russel Shedd que abençoa o nosso país com fidelidade e integridade ao longo dos anos. Seu ministério e intensa atuação na Igreja brasileira são fruto de um avivamento que despertou jovens e os levou a desenvolverem ministérios de transformação e impacto em todo o mundo.

Tendo em mente os três níveis de relação entre o Espírito Santo e as Missões nessa macroestrutura, podemos observar alguns valores bíblicos sobre esse tema, revelados em Atos 2, durante o Pentecoste.

O Pentecoste e a proclamação
O Espírito Santo é a pessoa central no capítulo 2 de Atos, e Lucas é justamente o autor sinóptico que mais fala sobre ele utilizando expressões como “ungido” pelo Espírito, ou “poder” do Espírito ou ainda “dirigido” pelo Espírito. Isso demonstra que, na teologia Lucana, o Espírito Santo era realmente o “Parakletos” que viria.

O Pentecoste, dentre todas as festas judaicas, era, segundo Julius, o evento mais frequentado e acontecia sob clima de reencontros, já que judeus que moravam em terras distantes empreendiam, nessa época do ano, longas jornadas para ali estar no quinquagésimo dia após a páscoa.

Chegamos ao momento do Pentecoste. Fenômenos estranhos aos de fora e incomuns à Igreja aconteceram nesse momento, e a Palavra resume-os falando sobre um som como “vento impetuoso” (no grego “echos”, usado para o estrondo do mar). E “línguas como de fogo” que pousavam sobre cada um. Diz a Palavra que “ficaram cheios do Espírito Santo” e começaram a falar “em outras línguas”. E Lucas fecha o versículo 4 com a expressão “segundo o Espírito lhes concedia”.

No versículo 4, o texto utiliza os termos “eterais glossais” para afirmar que eles falaram em outras “glosse” , línguas, expressão usada para línguas humanas, idiomas. Mas, a fim de não deixar dúvidas, no versículo 8, o texto nos diz que cada um ouviu em sua “própria língua” usando aqui o termo “dialekto”, que se refere aos dialetos ali presentes. As línguas faladas, e ouvidas no Pentecoste, portanto, eram humanas. Mas onde ocorreu o milagre? Naquele que falou ou nos ouvidos dos que ouviram? É possível que tenha sido nos ouvidos dos que ouviram, pois a mensagem, pregada foi compreendida “idia dialekto” - no próprio dialeto de cada um. O certo, porém, é que Deus atuou sobrenaturalmente a fim de que a mensagem do Cristo vivo fosse compreendida, de forma nítida e clara, por todos os ouvintes.

Em meio a esse momento atordoante (vento, fogo, som e línguas), o improvável acontece. Aquilo que seria apenas uma festa espiritual interna para 120 pessoas chega até as ruas. O caráter missiológico do evangelho é exposto. Com certeza, o Senhor já queria demonstrar desde os primeiros minutos da chegada definitiva do Espírito sobre a Igreja que este poder - “dinamis” de Deus - não havia sido derramado apenas para um culto cristão restrito, para a alegria íntima dos salvos ou para a confirmação da fé dos mártires.

O plano de Deus incluía o mundo de perto e de longe em todas as gerações vindouras. E nada melhor do que o Pentecoste para demonstrar tal amplitude. Ali 14 nações estavam presentes e, no meio desta balbúrdia da manifestação de Deus, cada uma - milagrosamente - passou a ouvir o evangelho em sua própria língua.

Era o Espírito Santo mostrando já na sua chegada para o que viria. Em um só momento, Deus fez cumprir não apenas o “recebereis poder”, mas também o “sereis minhas testemunhas”. A Igreja revestida nasceu com uma missão: testemunhar sobre Jesus.

Daí muitos se convertem e a Igreja passa de 120 crentes para 3.000, e depois 5.000. Não sabemos o resultado daqueles representantes de 14 povos voltando para suas terras com o evangelho vivo e claro “em sua própria língua”, mas podemos imaginar que o nome de Jesus passou a ser repetido com intensidade tanto em Jerusalém quanto além fronteiras.

Após o sermão de Pedro, em que anuncia Cristo, no verso 37, registra-se que “ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração (ARA)”, e o termo usado aqui para “compungir” vem de “katanusso”, que segundo Meyer é usado para uma “forte ferroada”, ou ainda para “uma dor profunda que faz a alma chorar”. A Palavra afirma que “naquele dia juntaram-se a eles quase três mil pessoas”. Era o Espírito Santo usando o cenário do Pentecoste para alcançar homens de perto e de longe.

Uma conclusão clara no texto é que a presença do Espírito Santo leva a mensagem para as ruas, para fora do salão, e alcança pessoas de perto e de longe.
Havia naquele lugar, ouvindo a Palavra de Deus através de uma Igreja revestida de Poder pelo Espírito Santo, homens de várias nações distantes, judaizantes, além de judeus de perto, que moravam do outro lado da rua. De terras distantes, o texto registra que havia “Partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia próximas a Cirene, e romanos aqui residentes, tanto judeus como convertidos ao judaísmo, cretenses e árabes” e que todos ouviram falar “das grandezas de Deus”.

A ação do Espírito Santo NÃO produz uma Igreja enclausurada
Esta Igreja cheia do Espírito Santo passa a crescer onde está e em Atos 8 o Senhor a dispersa por todos os cantos da terra. E diz a Palavra que “os que eram dispersos iam por toda parte pregando a Palavra”.

Uma Igreja cheia do Espírito é uma igreja missionária, proclamadora do evangelho e conduzida para as ruas, jamais enclausurada.

A ação do Espírito Santo NÃO produz uma Igreja segmentada
Após a ação do Espírito sobre os 120, depois 3.000, e depois 5.000, não houve segmentação, divisão, grupinhos na Igreja.

Eles eram diferentes. Alguns gostavam de adorar a Deus no templo, outros de casa em casa. Alguns eram judeus, outros judaizantes, e ainda outros gentios. Alguns haviam caminhado com Jesus, outros jamais o viram pessoalmente. Mas a Igreja possuía “um só coração e uma só alma” como resultado direto da ação do Espírito Santo em Atos 2.

A diversidade não conduzia a Igreja a segmentações. A unidade em Cristo era mais forte do que a diversidade humana, e assim a Igreja caminhava a um só passo.

A ação do Espírito Santo NÃO produz uma Igreja autocentrada
Certamente uma Igreja que havia experimentado o poder de Deus, de forma tão próxima e visível, seria impactada pelo sobrenatural.

Porém, quando a ação sobrenatural é conduzida pelo Espírito Santo, a única pessoa que se destaca é Jesus. A única pessoa exaltada é Jesus. A única pessoa que aparece é Jesus. E o resultado é que outros passam a amar mais Jesus.

A ação evangelizadora jamais foi resultado de habilidade humana ou metodologia certeira, mas, sim fruto da ação do Espírito que convence o homem do pecado e do juízo. A dependência da ação do Espírito é, portanto, condição necessária e fundamental para sonharmos com igrejas nascendo e se multiplicando, em Cristo, para a glória do Pai.
_________________________________________________________________________ 

Notas

1 Há um progressivo avanço do Cristianismo sobre o Islamismo a partir da forte entrada missionária em países islâmicos bem como de um fortalecimento do islamismo radical que tem enfraquecido o apelo do Islã no mundo; 2 JOHNSTONE, Patrick. The church is bigger than you think. Fearn, UK, Christian Focus, 1998; 3 Ou permanecer ao lado de alguém. O “parakletos” era um ajudador, colaborador para que alguma missão ou propósito pudesse acontecer; 4 MURRAY, Stuart. Church planting: Laying foundations. Carlisle, Cumbria, Paternoster, 1998; 5 Stott, John, op. cit., p. 54; 6 Um dos maiores desportistas do final do século XIX, e milionário, abandonou fortuna e fama para se entregar à obra missionária na África. Fundador da WEC International — Missão AMEM no Brasil
_________________________________________________________________________ 

Fonte: Genizah, em Teologia Brasileira.

Fogo para Missões

"Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas."
Romanos 10:14 e 15


A tensão política e militar que vive a Guiné-Bissau após o golpe militar da última semana deixa o Brasil e outros países em alerta. Militares fecharam os espaços aéreo e marítimo, impedindo que qualquer cidadão, inclusive os estrangeiros, saiam do país da costa oeste africana.

De acordo com o Itamaraty, pelo menos 300 brasileiros estão na Guiné-Bissau. Porém, o número pode ser maior, já que muitos viajam sem comunicar a embaixada. Até a noite de ontem, segundo o Itamaraty, o Aeroporto de Bissau, capital do país, permanecia fechado.

Um grupo de 10 brasileiros, entre eles uma gaúcha, está em Bissau, em missão humanitária promovida pela igreja Assembleia de Deus. Natural de Uruguaiana, Estela Mônica Gimenez Falcão Martins, 33 anos, e seu marido, o catarinense Isaac Martins, 39 anos, viajaram para o país africano dia 8 de abril, onde ficariam até o último domingo, quando seguiriam para a Europa.

Géssica Falcão, irmã de Estela, conta que a família está apreensiva. O casal tem três filhos, de 13 anos, 11 e nove, que estão com a avó materna.

"A situação está se agravando a cada dia com o risco de guerra. Estão com acesso restrito à televisão, ao rádio e à internet, tem militares tomando as ruas e tiroteios", diz Géssica, repassando informações obtidas com a irmã, via MSN, na manhã de ontem.

Por e-mail, Estela relatou ao Jornal Zero Hora que o grupo está em um hotel, aguardando a liberação de um voo para Portugal:

"Não estamos com medo, só queremos sair. Fomos pegos de surpresa".

O golpe militar ocorreu a apenas duas semanas do segundo turno das eleições na Guiné-Bissau, marcado para 29 de abril. O primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior era o principal candidato na disputa presidencial. Com 48,97% dos votos no primeiro turno, em 18 de março, ele disputaria o segundo turno com Kumaba Yalá. Porém, na última quinta-feira, militares promoveram um golpe de Estado e prenderam o premier e o presidente interino, Raimundo Pereira. Informações do Jornal Correio da Manhã, de Portugal, indicam que um navio português foi enviado a Guiné-Bissau para buscar cidadãos estrangeiros.

Desde que deixou de ser colônia de Portugal, em 1974, Guiné-Bissau sofre com agitação política e por uma série de golpes militares.

Até ontem à noite, o Ministério das Relações Exteriores não havia definido o tipo de ação para atender aos brasileiros que se encontram na Guiné-Bissau. De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, a primeira providência foi fazer contato com os familiares no Brasil.

MISSÕES NA GUINÉ-BISSAU

Embora não faça parte da conhecida Classificação de Países por Perseguição, uma lista elaborada pelo Portas Abertas, com os 50 países que oferecem maior opressão ao cristianismo, Guiné-Bissau pode ser considerado um país com liberdade bastante restrita para os cristãos, devido a maioria islãmica e agora por conta deste golpe de Estado que eclodiu no dia 12 deste mês (abril), mas isso não tem impedido o importante trabalho de missionários e o avanço da Igreja nesta nação.

"Na bardadi, Siñor fasi garandi kusas pa nos; e ku manda no kontenti"
Salmos 126:03

Encontramos o blog Missões na Guiné-Bissau do Pastor Pedro e da Rachel Peres de Souza, também ligados a Assembléia de Deus, que estiveram por 19 anos servindo neste país, um blog rico em informações de irmãos que por quase vinte anos viveram a realidade missionária nesta nação que hoje passa por grande conflito.

Oremos para que seja restaurada a ordem e a vida cotidiana das famílias, não apenas dos missionários, mas dos cidadãos guineenses, oremos pelas vidas e ministérios de diversos irmãos incógnitos que estão servindo esta nação, oremos para que a Palavra da Verdade continue sendo anunciada com ousadia, liberdade e amor.

Fontes: CPADNews
Fogo para Missões

"Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos."
Tiago 5:16



A Coreia do Norte ainda é o lugar mais difícil do mundo para um cristão praticar sua fé. Qualquer atividade religiosa é vista como uma forma de revolta contra os princípios socialistas do governo e contra o culto à personalidade do líder. Apesar das dificuldades enfrentadas, a Igreja continua perseverando neste país.

A Coreia do Norte está há 11 anos em primeiro lugar na lista de Classificação de Países por Perseguição da Portas Abertas, um recorde desde que a classificação foi criada, em 1994. Nenhum país ficou por tanto tempo ocupando a posição de maior destaque, sendo aquele onde ser cristão custa um alto preço. Considerado hoje o país mais fechado do mundo por suas políticas de isolamento, a Coreia do Norte é um mundo à parte de tudo aquilo que conhecemos, o que gera uma grande dificuldade quando nos propomos a falar de um regime tão restrito e, principalmente, da perseguição à igreja existente ali.

Dia 15 de abril de 2012, centenário do nascimento de Kim Il-sung, será o dia internacional de oração pela Coreia do Norte. Pessoas de todo o mundo se unirão em oração pelo país, por seu povo e por seus governantes. No mesmo dia, terá início a campanha de 30 dias de oração pela Coreia do Norte.

A conhecida Missão Portas Abertas, preparou um livreto de oração para quem quiser participar ativamente da campanha dos 30 dias de oração pela Coreia do Norte. Nele, você terá a oportunidade de conhecer mais sobre a história da Coreia do Norte – fundação, política, cultura – e principalmente sobre a Igreja e suas dificuldades.


Você pode se perguntar, mas por que dia 15? Porque 15 de abril é o dia que se comemora o nascimento de Kim Il-sung, líder da Coreia do Norte e este é o dia mais especial do calendário dos norte-coreanos, pois foi no dia 15 de abril de 1912 que nasceu aquele que, para a maioria deles, é o personagem mais importante da história do país. Este ano será comemorado o 100º aniversário do “presidente eterno”, como é chamado pelos norte-coreanos e o país promete uma mega mobilização e organização para esta celebração.

O dia 15 de abril é denominado pelos norte-coreanos como o “Dia do Sol”, sendo normalmente celebrado com grandes atos esportivos e culturais, que reúnem milhares de cidadãos em estádios e desfiles militares na Praça Central em Pyongyang, capital do país. Neste dia, trabalhadores e estudantes recebem presentes especiais, alimentos e formes novos. Nos meses que precedem o aniversário de Kim Il Sung, os prisioneiros que trabalham nas fábricas nas prisões costumam trabalhar horas extras para atender à demanda de comendas e presentes a ser distribuídos à população no dia 15.

Durante os 46 anos em que esteve no poder, Kim Il Sung construiu um culto à sua personalidade, que chega a ser mais que um simples respeito e admiração por seus feitos como líder do país. Ao longo dos anos, passou a ser algo que transcende a razão, tornando-se um ato de fé para os norte-coreanos. Para muitos deles, não há Deus e tudo quanto existe provém de Kim Il Sung.

"E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste."
Daniel 3:18

PEDIDOS DE ORAÇÃO
Louve a Deus porque muitos cristãos norte-coreanos têm sido fiéis a Deus e não têm se dobrado diante das imagens de Kim Il Sung.
Ore para que os norte-coreanos se ajoelhem somente diante do único e verdadeiro Deus, Jesus Cristo.
Ore pela proteção dos cristãos que, antes e durante as festas do aniversário de Kim Il Sung, sofrem muita pressão do governo.

Fonte: Textos do site Missão Portas Abertas e blog Missão e Adoração, o objetivo desta publicação é levar você amigo leitor, a se mobilizar em oração e ação por missões. Deus o abençoe!

Fogo para Missões

"Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito?"
Salmos 116:12



A 4U Films é um ministério de cinema formado por cineastas cristãos de diversas denominações evangélicas.

A equipe conta com servos de Deus que estudaram em diversas instituições, tais como: Academia Internacional de Cinema, PUC, Universidade Estácio de Sá, Escola de Cinema Darcy Ribeiro, IATEC, Escola Livre de Cinema, Adalpho Bloch, Oficina Tela Brasil e UNIRIO. Profissionais que fizeram trabalhos em empresas renomadas no cenário nacional e internacional, por exemplo: Warner Bros, O2 Filmes, Buriti Filmes, 3rd Day Films, MTV, Ouroboros Filmes, ISTOÉ, Record, TV Brasil, Globo e outros.

A 4U Films realizou o curta “Não Me Deixe Te Deixar”, tendo mais de 20 mil acessos na internet, fora exibições em igrejas, lares, eventos e etc. O filme teve um retorno de depoimentos dos espectadores, sobre vidas transformadas, ministradas e abençoadas. O ministério 4U Films tem como principal visão utilizar da arte cinematográfica para falar do amor de Deus e propagar o evangelho de Jesus a toda criatura. Realizando filmes com excelência para Deus.

EXCELÊNCIA
Houve um tempo na igreja evangélica (pelo menos no Brasil), no qual não era difícil ouvir que "se é para Deus, tá bom assim", eram comuns as apresentações sem ensaio e coisas do tipo, a falta de recursos ajudava, mas a falta de um esforcinho a mais também, e assim seguia a visão do "Deus conhece meu coração", seguida da frase "se eu errar, não ligue, é para Jesus" e acompanhado (geralmente) do Play-Back. Bons tempos aqueles? Não sei não!

Hoje vivemos tempos melhores, nos quais a excelência no servir, no ministrar, no ofertar, apresentar uma canção ou um teatro na igreja, a excelência tem levado muitos a se encontrar com o Deus Excelente que servimos.

Hoje, vivemos tempos nos quais ouvimos jovens sonhando alto e ousando em realizações que antes não seriam sequer concebidas, e o SENHOR tem dado os sonhos e os meios para realizá-los, mostrando para nossa geração que o Deus que amamos e anunciamos não é um Deus de frustrações, mas de realizações, realizações excelentes.

Claro que há um preço a ser pago, mas cremos que no SENHOR está tanto o querer quanto o realizar (Filipenses 2:13), então nossos sonhos não são nossos, mas Dele, e a realização destes sonhos é uma questão de renúncia, responsabilidade e disposição (Marcos 8:34), de esforço (Gálatas 6:09) e já não é mais um desafio, mas sim uma resposta ao Seu amor, que nos constrange!

Pense nisso! Viva isso!

Aqui está o vídeo Dom Gratuito (Free Gift) da 4U Films, vale a pena ver, com certeza!


Saiba mais sobre a 4U Films através do site http://4ufilms.com.
Fogo para Missões

"Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra."
Atos 1:08
























O texto abaixo é o Salmo de Davi, número 22, que retrata a aflição e glória do Messias. Hoje realizamos um culto doméstico, apenas eu e minha esposa, e meditamos sobre este Salmo, foi uma reflexão longa, onde passamos, guiados pelo Espírito, por diversos outros textos bíblicos, um deles foi II Reis 6:08 a 17, ao lermos o versículo 12 deste Salmo sobre a ilustração do cerco ao aflito, uma ilustração também da violenta investida do inferno contra o Santo.

Outra passagem pela qual refletimos foi a de Atos 1:08, o texto é a conhecida orientação do Messias sobre o derramar do Espírito Santo, o poder que capacitaria os discípulos para o cumprimento do conhecido "ide" de Mateus 28:19 e 20, e consequentemente também das palavras contidas no versículo 27 deste Salmo.

Após a leitura e reflexão do texto, oramos e louvamos ao SENHOR por ter ouvido ao aflito, respondido e dado a Ele grande vitória, adoramos ao SENHOR como nos convida o salmista nos versículos 23 e 24 também deste mesmo Salmo. Oramos pelo avanço da Igreja, que lembra e faz lembrado o SENHOR entre as nações da terra, Igreja que, mesmo perseguida como hoje tanto ouvimos falar no Sudão, serve ao SENHOR e proclama às gerações, a justiça de Deus que é Jesus, e faz conhecido aos ainda irão nascer que foi Ele quem fez estas coisas. Aleluias.

SALMOS 22
1. Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que estás afastado de me auxiliar e das palavras do meu bramido?
2. Deus meu, a ti clamo de dia, porém não me respondes; Também de noite, porém não acho descanso.
3. Contudo tu és santo, Entronizado sobre os louvores de Israel.
4. Em ti confiaram nossos pais: Confiaram, e os livraste.
5. A ti clamaram, e foram salvos; Em ti confiaram, e não foram envergonhados.
6. Eu, porém, sou verme, e não homem, Opróbrio dos homens e desprezado do povo.
7. Todos os que me vêem, zombam de mim; Arreganham os beiços, meneiam a cabeça, dizendo:
8. Entrega-te a Jeová! que ele o livre; Que ele o salve, visto que nele tem prazer!
9. Tu, porém, és quem me tirou da madre; Fizeste-me confiar, estando eu aos peitos de minha mãe.
10. Sobre ti fui lançado desde a madre; Desde o ventre de minha mãe, tu és meu Deus.
11. Não te alongues de mim, porque perto está a tribulação, Porque não há quem acuda.
12. Muitos touros se acercaram de mim, Fortes touros de Basã me rodearam.
13. Abrem contra mim as suas bocas, Como um leão que despedaça e que ruge.
14. Como água estou derramado, E todos os meus ossos estão desconjuntados. O meu coração é como cera, Derrete-se no meio das minhas entranhas.
15. Está ressequido, como um caco, o meu vigor, E a minha língua se me apega às fauces, E pões-me no pó da morte.
16. Porquanto cães me cercaram; A assembléia de malfeitores me rodeou; Traspassaram-me as mãos e os pés.
17. Posso contar todos os meus ossos; Eles estão-me encarando e mirando.
18. Repartem entre si os meus vestidos, E deitam sortes sobre a minha vestidura.
19. Tu, porém, Jeová, não te afastes: Socorro meu, dá-te pressa em me ajudar.
20. Livra da espada a minha vida; Do poder do cão, a minha predileta.
21. Salva-me da boca do leão; Sim dos chifres dos bois bravios...tu me respondeste.
22. A meus irmãos declararei o teu nome, No meio da congregação te louvarei.
23. Vós que temeis a Jeová, louvai-o; Glorificai-o, vós todos, semente de Jacó; Reverenciai-o, vós todos, semente de Israel.
24. Pois ele não desprezou nem abominou a aflição do aflito, Nem dele escondeu o seu rosto; Mas quando lhe chamou por socorro, ouviu.
25. De ti vem o meu louvor na grande congregação; Cumprirei os meus votos na presença dos que o temem.
26. Os mansos comerão e se fartarão; Louvarão a Jeová os que o buscam: Viva o vosso coração para sempre.
27. Lembrar-se-ão e converter-se-ão a Jeová todos os confins da terra, Adorarão perante ti todas as famílias das nações.
28. Pois do SENHOR é o reino, E é ele quem domina sobre as nações.
29. Comerão e adorarão todos os opulentos da terra; Dobrarão os joelhos diante dele todos os que descem ao pó, Ainda o que não pode preservar a própria vida.
30. Servi-lo-á a posteridade, Falar-se-á do Senhor à geração vindoura.
31. Virão e declararão a justiça dele, A um povo que há de nascer anunciarão o que ele fez.

Muitos foram os textos pelos quais fomos levados pelo Espírito a lembrar e meditar neste culto doméstico, ilustrações que nos levaram a refletir sobre o peso do sacrifício imposto para nos resgatar de nossos próprios pecados, e não restam dúvidas de que nenhum outro voluntariamente se entregaria de tal forma por  seus inimigos. Ao contrário do que muitas vezes pensamos, não foi nada fácil assumir nosso lugar naquela cruz, não foi nada fácil para o Pai ver o Filho, ou ainda se agradar em moê-lo por amor a nós, pecadores, mas Ele o fez.

Nosso desejo é que nesta páscoa, e a partir dela, o SENHOR lhe faça transbordar de amor e alegria no Espírito por Sua vitória, pois como está escrito no versículo 28 deste Salmo e também em Mateus 6:13: "Pois do SENHOR é o Reino (...) o Poder e a Glória para sempre. Amém".

Fogo para Missões

"Orai sem cessar."
I Tessalonicenses 5:17



Confusão sobre o que fazer diante de meio milhão de pessoas de etnia do Sul-Sudanezas até domingo, o prazo para que eles saiam do Sudão ou formalizar sua situação no país. Um trabalhador não-governamental disse que funcionários do Sul foram enviados para o Sudão para reconfortar o povo, dizendo-lhes para não entrar em pânico.

O dia 8 abril, terminou o tempo liminte, um chamado "período de carência" após a separação do Sul do Sudão em julho passado, depois de um esmagador "sim" num referendo sobre a independência que se seguiu a mais longa guerra da África do civil. O conflito de 22 anos matou mais de dois milhões de pessoas e levou muitos mais para o norte do país.  Enquanto centenas de milhares de pessoas já retornaram para o sul, uma estimativa de 500.000 permanecem no Sudão, à espera de uma direção clara sobre o que fazer.

"Até agora, não sabemos o que está próximo", disse Canon Sylvester Thomas, diretor da All Saints Episcopal Sé, em Cartum. Ele falou por telefone de Juba, capital Sul-Sudanêsa, para onde tinha voado no sábado (07/04), para obter um passaporte da nova nação. Apenas após a obtenção do documento é que ele pretende voltar a Cartum para registrar sua presença.

Isso, segundo ele, é onde a incerteza reside. Sua esposa e filhos que são estudantes universitários, já haviam obtido seus documentos e voltado para a capital sudanesa, mas não tinham informações sobre o que fazer para se tornar oficialmente residente no Sudão, disse Thomas, "Nós não sabemos como vamos para regularizar nossa situação", disse ele. "Há muitos sulistas que gostaria de ficar", ou porque eles ainda estão trabalhando no norte, são ex-funcionários públicos à espera de indenização ou, como Thomas, têm filhos em universidades ou outras escolas, disse ele.

O governo de Cartum havia demitido membros étnicos do sul de suas funções públicas antes da independência do sul, aqueles que procuram aplicar para a residência do Norte precisará de documentos do Sul Sudão.

Jill Helke, chefe da Organização Internacional para Migrações (OIM), com missão no Sudão, confirmou que as pessoas não sabem onde se devem registar. Embora não ficou claro o que iria acontecer no prazo, ela disse que os funcionários do Sul estiveram no Sudão, para dizer ao povo: "Não entre em pânico".

O prazo se encerra no domingo de Páscoa, um dos dias mais sagrados para os sulistas, em sua maioria cristãos, e também vem durante um período de alta tensão entre o Sudão eo Sul do Sudão. Conflitos de fronteiras, que surgiram há duas semanas, entre os dois vizinhos se transformou na agitação mais grave, desde a independência Juba, e levaram a comunidade internacional a temer que houvesse violentos ataques em massa, os chamados "full-blowns".

O africano Thabo Mbeki, mediador da União, se reuniu na semana passada para falar sobre a crise com o presidente do Sul do Sudão, Salva Kiir, e o seu homólogo sudanês Omar al-Bashir. Durante a reunião de Cartum e Bashir Mbeki também discutiu o futuro dos sulistas ainda no Sudão. "O presidente Bashir disse que o povo sudanês é muito hospitaleiro e há muitos africanos vivendo no Sudão. Para os sulistas, nada de negativo vai acontecer com eles e não há razão para temor entre eles.", disse Mbeki aos jornalistas.

Sob um "quadro-de-acordo", assinado pelos negociadores de Cartum e Juba, no mês passado, os nacionais de cada país tem a liberdade de residência, ao movimento e a atividade econômica no outro estado.
Ambos os países concordaram em "acelerar a sua cooperação" para fornecer identificação e outros documentos para as pessoas, mas este quadro-de-acordo ainda requer alto nível de aprovação de cada nação.

Mais de 11.000 sulistas têm vivido por meses em abrigos improvisados ​​no caminho da estação de Kosti sul de Cartum, à espera de transporte para casa. Desde o ano passado, a OIM, que depende de financiamento de doadores, tem ajudado a movimentar mais de 23.000 sulistas do Sudão a sul do Sudão, em sua maioria pelo rio, com uso de barcaças. Helke disse a OIM está cadastrando pessoas para outra viagem de barcaça de Kosti. Sudão e Sudão do Sul também organizaram alguns transportes próprios.

Fogo para Missões

"E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados."
Hebreus 11:36 e 37



O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, determinou a retirada total dos cristãos do país até o dia 9 de abril, em uma intensificação da perseguição religiosa aos grupos minoritários cristãos na região.

O chefe de estado sudanês vem empreendendo, há décadas, perseguições a cristãos e minorias religiosas em todo o país e particularmente nas fronteiras com o Sudão do Sul.

O país recebeu a emancipação em 2011, e desde então, al-Bashir decretou a sharia – lei da islamização absoluta – em todo território. Segundo sua política, o país deveria tornar-se uma nação de “uma só língua, uma só cultura e uma só religião” e os sudaneses cristãos deveriam deixar o território.

Em entrevista ao The Christian Post, o pastor Mário Freitas, presidente da Missão em Apoio à Igreja Sofredora (MAIS), diretamente do Sudão, falou sobre o grande problema enfrentado pelos cristãos ameaçados, que é a falta de perspectiva.

De acordo com Freitas, que está no local desde 3 de abril, os líderes religiosos sudaneses estão tentando encontrar a linha emocional a seguir entre a fé e o desespero.

Na verdade, ninguém sabe como serão os próximos dias. Não sabem se os filhos poderão seguir normalmente na escola. Não sabem se as esposas estarão em segurança nas ruas e nos mercados. Não sabem como e onde estarão os irmãos de fé”, conta o missionário.

Freitas explica que há grandes dificuldades no processo migratório, entre outras coisas, por causa da alta nos preços do território ao sul.

Há muitos estrangeiros, funcionários de organizações humanitárias, diplomatas e negociantes, o que também inflaciona os preços. Se todos vão para o mesmo lugar, é natural que se gere concorrência naquele destino.

Outro fator para a retirada é que os sudaneses cristãos possuem vínculos afetivos com o Sudão. “Os cristãos pertencem etnicamente ao sul, por serem filhos de tribos daquela região, mas nasceram e cresceram no norte. Têm uma vida aqui em Khartoum. É aqui que seus sonhos foram gestados, aqui estudaram, aqui conheceram seus cônjuges. Não querem sair de casa porque estão em casa”, explicou. “Além disso, não seriam mais aceitos naquele território”.

Há ainda uma questão étnica, pois os sudaneses do norte têm ascendência árabe, enquanto os do sul têm origem nas raças tribais negras. “Estes são muçulmanos convertidos ao cristianismo, o que por si só, já é um crime mortal”.

Segundo o pastor Freitas, nas ruas de Khartoum, capital do Sudão, há uma tensão com relação aos cristãos e uma intensa perseguição moral a eles, que não conseguem empregos e assim não possuem os meios para sua subsistência.

Sobre a perspectiva do dia 8, próximo domingo, Freitas explica que os pastores e cristãos locais não conseguem fazer grandes predições. “Eles não sabem o que esperar. Mas têm muita fé”, assegura. “Eles simplesmente esperam e esperam. Aguardam passivamente, mas não vão deixar sua terra”, garante.

Um dos pastores locais, quando perguntado se temia a morte afirmou: “eu não tenho medo de morrer. Eu já morri”. Para Freitas eles “são heróis e nos encorajam diante de nossos míseros problemas. Eles sabem que Deus lhes será por juíz”.

GENOCÍDIO DE CRISTÃOS
O presidente Omar al-Bahsir já foi indiciado pelo Tribunal Penal Internacional de Haia e tem contra si três acusações de genocídio.

A violência, porém, continua. No estado de Kordofan do Sul, ainda há bombardeios aéreos, assassinatos seletivos, sequestros de crianças e outras atrocidades contra cristãos.

Relatórios da ONU indicam que entre 53 mil e 75 mil civis inocentes foram expulsos de seus lares no território sudanês, e casas e edifícios foram incendiados.

Fonte: Púlpito Cristão, com informações do The Christian Post.
Fogo para Missões