"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito."
Romanos 8:28


Diante de dificuldades existem basicamente dois tipos de pessoas, os que focados nos problemas encontram justificativas para a derrota, e apontando apenas para as dificuldades sentem dó de si mesmos e acabam por levar os que estão próximos a vê-lo como derrotado, como miserável ao qual resta apenas a dó, lembrando que dó não é o mesmo que compaixão.

Há porém aqueles que entendem a seriedade de seus problemas, sabem da realidade e gravidade de suas dificuldades pelas quais estão passando, mas superestimam seus problemas e tampouco subestimam a si mesmos, antes olham para seus talentos, inteligência, criatividade e oportunidades (todas estas coisas graciosamente dadas por Deus) e sabem que a adversidade lhes reserva uma maior experiência, maturidade e porque não, intimidade com Aquele que lhes proveu tanto o dom quanto a tribulação e também o devido escape.

"Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém."
Romanos 11:36

"E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado."
Romanos 3:03 até 05

"O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará."
Salmos 23:01

"Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar."
I Coríntios 10:13

Amados, com estas palavras espero, em Cristo, contribuir para a edificação e fortalecimento daqueles que estejam passando neste momento por qualquer forma de tribulação, seja pessoal, familiar, profissional ou ministerial. Mais uma vez, confie no SENHOR que lhe chamou do nada para lhe fazer assentar entre os príncipes de Seu povo, o SENHOR é bom e Sua misericórdia dura para sempre, o SENHOR é forte e Seu amor não muda.

O Reino de Deus existe em constante adoração, o Rei é exaltado a todo tempo, então posso imaginar a retumbante alegria dos céus quando um de Seus príncipes está lutando, os anjos sabem que logo o Rei será exaltado, que haverá ainda mais razão para adorá-Lo porque quando Príncipes lutam, sua luta é uma adoração, suas orações são cânticos, suas lágrimas são acordes, quando Príncipes lutam parecem até mesmo que estão dançando.

Pensem nisso, vivam isso.

Fogo para Missões

"O Senhor DEUS me deu uma língua erudita, para que eu saiba dizer a seu tempo uma boa palavra ao que está cansado. Ele desperta-me todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que ouça, como aqueles que aprendem."
Isaías 50:04


Estou pensando em uma palavra: propósito, e associada a esta palavra, também penso uma outra palavra, que ao meu ver, desfrutam de íntima ligação: atitude. Propósito e atitude.

Você tem um talento, ou talentos, que são como pequenos sinais de seu propósito para a manifestação do Reino, e estes talentos precisam ser lapidados para que sua manifestação seja excelente e isso resulte em glórias ao SENHOR, porém estes talentos podem ser também escondidos, e muitas vezes são, sob a cortina da inércia, até mesmo enterrados em montanhas de palavras e discursos, quando na verdade estes talentos precisam ser expostos à luz através de ações.

Começo a olhar para a igreja primitiva e encontro nela algo que a tornava exemplar, gostaria de dizer única, mas os primeiros cristãos não devem ser únicos, mas inspiradores, e o que encontro são atitudes, haviam pregações e discursos cheios de fé e inflamadas com paixão, havia um amor ardente pelo Senhor, eram palavras cheias de gratidão, havia fé em cada uma de suas palavras. E qual o nosso espanto em descobrir que estas palavras expressavam na verdade apenas uma parte daquilo que a igreja primitiva cria, pois suas atitudes, suas vidas eram a assinatura que autenticava cada uma delas.

Olhando para esta igreja sou obrigado a perguntar: e eu? Tenho tido boas palavras para os cansados? A quem tenho confortado com boas palavras? Qual realmente é a relevância do cristianismo que vivo? A quem tenho alcançado com minhas palavras e com minhas... atitudes?

Quantos souberam, através de minha vida, sobre o Jesus a quem afirmo em plenos pulmões ter entregue meu coração? Quantos souberam da gloriosa vitória de Jesus sobre a morte através não de minhas palavras, mas de minhas atitudes? Isso mesmo, quem são os que podem dizer que eu os servi, conduzindo-os até o Rei, o Rei da Glória?

Olhando para esta igreja e para tantos heróis da fé eu me pergunto ainda mais: no final, o que resta? O nome de um ministério? Por acaso o meu nome? O que é o nome de um ministério, se não apenas uma forma de identificar uma determinada organização? O que é um nome de homem para que seja lembrado? Quando o que realmente importa é que vidas sejam levadas, o quanto antes, até a cruz para que possam encontrar no vazio dela, e lá a razão de toda esta "loucura" que foi a minha vida, para que possam entender que a vergonha da cruz foi transformada na glória de Jesus Cristo, pois era preciso, e somente Ele poderia fazê-lo.

Continuo pensando nestas duas palavras, propósito e atitude, sei que palavras são importantes pois preciso estar pronto para responder, com mansidão e temor, sobre a Esperança que há em mim (I Pedro 3:15) - a saber Cristo, em nós, a esperança da glória (Colossenses 1:27) - mas sei também que toda a criação aguarda ansiosamente por minha manifestação como filho (Romanos 8:19), que minha postura, que minha atitude pessoal revele o meu propósito de filho, e este propósito é o de "anunciar as virtudes daquele que me chamou das trevas para  a Sua maravilhosa luz" (I Pedro 2:09).

Entendo então que também há um motivo para que as misericórdias do SENHOR se renovem em minha vida, me permitindo acordar todas as manhãs, o Reino precisa ser anunciado e eu tenho este chamado para agir, por isso não seria estranho me perguntar todos os dias afinal: porque ainda estou respirando?

Fogo para Missões